Des-envelhecer até quando?

Artigo original do fxguide.

Um dos efeitos visuais mais atraentes e interessantes do novo filme do Capitão Marvel é o des-envelhecimento necessário para permitir que os atores Samuel L. Jackson e Clark Gregg se apresentem em meados dos anos 90. Mais uma vez, a Marvel Studios voltou-se para a Lola VFX para des-envelhecer suas estrelas, mantendo-se fiel às atuações dos atores.


"Eu estava tipo, 'Oh, isso provavelmente será como o rosto do negociador'", disse Samuel L. Jackson ao Yahoo Entertainment, referindo-se ao thriller de 1998 que o levou a competir contra Kevin Spacey. Jackson estava errado, já que descobrimos quando nos sentamos com o supervisor da Lola VFX, Trent Claus, para discutir o trabalho deles no Capitão Marvel. Lola VFX tem uma longa associação com a Marvel e nós cobrimos muitas dessas sequências de efeitos marcantes em histórias do fxguide, como Steve Margrelho, Kurt dos Guardiões e A Mulher de um bicho. Jackson comentaria mais tarde online, "Uau, essa coisa do des-envelhecimento da Marvel é mais incrível do que eu pensava!" e a este respeito ele está correto. O trabalho de Lola ao des-envelhecer Nick Fury, de Samuel L. Jackson, e Phil Coulson, de Clark Gregg, é um trabalho incrivelmente feito.


A negociação, na verdade não usado como referência

Quais 1995?

Como referência, Lola analisou vários filmes de Samuel L. Jackson do período de 1995 em que o Capitã Marvel se passa, incluindo Pulp Fiction: Tempo de Violência(1994) e Duro de Matar - A Vingança(1995). No entanto, Lola decidiu contra o uso de Pulp Fiction, "por causa do cabelo e da barba, ele parecia tão diferente, que tivemos que descartá-lo como referência", explicou Claus. Da mesma forma, em outros filmes daquele período, Jackson estava interpretando um personagem que não tinha a mesma idade que ele. Por exemplo, em Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros, em 1993, seu personagem Arnold era mais velho que Jackson, então Lola não estava apenas olhando para a data em que o filme foi lançado, mas também como ele foi feito para esse personagem em particular naquele filme. "O que nós acabamos nos decidindo, foi um pouco de Duro de Matar, um pouco de Máquina Quase Mortífera (1993), mas o herói do filme foi uma longa-metragem, menor chamado 187 - O Código. (1997). "


187, onde Jackson interpreta o professor Trevor Garfield, foi a principal referência.

Jules Winnfield em Pulp Fiction, de Quentin Tarantino, não era uma boa referência, devido à peruca e ao pelo facial

Capitã Marvel foi dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck, e o supervisor de efeitos visuais para o filme foi Christopher Townsend, (Guardiões da Galáxia Vol. 2 (2017), Vingadores: Era de Ultron (2015), Homem de Ferro 3 (2013) Capitão América: O Primeiro Vingador (2011)). Janelle Croshaw era a supervisora ​​adicional de efeitos visuais. A equipe Lola VFX foi liderada por Trent Claus. Para o des-envelhecimento, Lola relatou primeiramente a Croshaw, que Claus lembra de ter sido particularmente perspicaz em guiar os complicados efeitos visuais de des-envelhecimento. Isso talvez não seja surpreendente, já que ela era a supervisora ​​de composição do filme O curioso caso de Benjamin Button (2008). "Trabalhamos com Chris muitas vezes e neste filme Janelle foi espetacular para trabalhar. Suas anotações foram muito compreensivas sobre o nosso processo e também da anatomia facial", comentou ele. "Janelle era particularmente boa em equilibrar os níveis brancos da esclera em seus olhos, não apenas da esquerda para o olho direito, mas do interior para o exterior. Se você não acertar, você obtém quase esses olhos de laser, ou olhos brilhantes, que não combinam com os níveis da cena, mas pode ser realmente sutil e não óbvio de se ver.”


Liderança Feminina

Em um filme com a primeira protagonista feminina da Marvel, e com a primeira diretora da Marvel, é ótimo ver supervisoras sêniores de VFX. Abaixo está uma entrevista informal com Janelle Croshaw (em Inglês) discutindo como é ser uma mulher em VFX hoje.


Composição

Não há um truque ou plug-in de software que esteja fazendo este trabalho, é a composição manual, principalmente no Autodesk Flame (com algum trabalho no Nuke). É tão brilhante que é fácil esquecer o quanto é difícil, mas é preciso lembrar de recentes falhas épicas de outras equipes menos afortunadas, para ver que não é um problema fácil de resolver, (#Lábio_do_Superhomem). Para aumentar a complexidade do projeto, a história exigiu que Jackson fosse des-envelhecido em todo o filme, não apenas em um flashback ou em uma sequência. Lola trabalhou em cerca de 500 cenas, com cerca de 385 terminando perto da edição final. Lola tinha cerca de 40 compositores primários e outros 15 a 20 juniores fazendo roto. Isso foi espalhado por seus quatro escritórios, mas concentrou-se no escritório de Los Angeles.


A equipe de Lola começou o filme no verão de 2017. "Conversamos com a Marvel sobre se isso seria logisticamente possível e o que levaria junto com as preocupações que tínhamos", comentou Claus. Com base nessas conversas, Lola recomendou um teste com Jackson, o que foi feito em seus escritórios em setembro de 2017. "Fizemos apenas algumas fotos na tela verde e usamos essas imagens para o nosso processo de desenvolvimento visual e para determinar que idade Jackson teria" Nesse teste, Lola também solicitou um dublê de corpo, que é sua abordagem padrão atual. A partir desse teste, eles descobriram que o dublê de corpo não forneceu ajuda suficiente para o processo e durante produção não foi usado. "Com Sam em particular, descobrimos que não nos deu uma vantagem significativa usando um dublê. O tempo gasto no set não teria valido a pena ”, explica Claus. A produção ainda usou um dublê para algumas das cenas de luta.


As implicações de não usar um corpo duplo se estendem para além do rosto de Nick Fury. Lola teve que trabalhar na recriação da estátua física do jovem Jackson, assim como seu rosto mais jovem. A equipe optou por um des-envelhecimento de 25 anos, dos atuais 70 anos de idade de Jackson aos 45 anos de idade. Isso faz com que o 'salto' em anos sobre a média de envelhecimento que a Lola já fez para a Marvel. Para dar a Jackson seu corpo de 45 anos, a equipe usou fotos do set e ajustou sua postura, peso e roupas. Claus explica que eles ajustaram, "o ajuste do tecido, fazendo camisas e coisas menos apertadas às vezes ou mais soltas dependendo da cena. Todo o guarda-roupa teve que ser levado em consideração." Assim como o des-envelhecimento facial, todo o ajuste do guarda-roupa e da postura foi feito em composição e não com simulações de tecidos em 3D, é um trabalho preciso, exato e meticuloso.


Dado que os resultados estão em comp, não há sentido de um processo de aprovação tradicional começando com o blocking*, testes de animação em escala de cinza e renderização final. Lola teve que redefinir o processo de aprovação de clientes e diretores para ser bem diferente dos tradicionais pipelines de animação ou VFX. "Na verdade, os feedbacks são um problema que enfrentamos muito com clientes que não são com a Marvel. Algumas produções estão tão acostumadas a um pipeline 3D, onde veem cenas em intervalos regulares: recebem primeiro versão, segunda versão, versão final, "Explica Claus." E então eles vêm até nós e nosso processo não funciona dessa maneira. Você não pode dar a eles metade de uma versão com apenas metade do rosto. “Lola também está preocupada com qualquer cena parcial que afaste a percepção de seus clientes. "Nós sempre discutimos isso com eles de antemão que realmente não entregamos versões temporárias. Gostamos de levar a cena para um lugar em que estamos confortáveis antes de mostrá-la ao cliente", acrescenta.


Enquanto uma cabeça 3D construída a partir de fotogrametria é usada às vezes como referência de iluminação, não há animação 3D ou camadas usadas no pipeline de Lola. A equipe às vezes faz tracking para a cabeça, mas isso permite que eles usem a projeção em 2D e, às vezes, a equipe usa essa abordagem para trabalhar em UVs, mas "enquanto podemos usar a geometria como guia para proporções faciais e coisas assim, o trabalho de envelhecimento real é feito em comp ", diz Claus.


No Set

Enquanto a aparência de Jackson é diferente de Michael Douglas ou Michelle Pfeiffer em Homem Formiga, a equipe de Lola também havia des-envelhecido Laurence Fishburne naquele filme, o que provou ser uma experiência valiosa para este filme. Tanto Jackson quanto Gregg tinham pontos aplicados em seus rostos, pontos brancos ou pretos, dependendo de seus tons de pele. Esses pontos são mais esparsos do que um típico para o MoCap facial, já que a equipe quer que os pontos os informem, mas ao contrário do MoCap, a cena gravada será usada para a final, então todos os pontos também precisam ser removidos digitalmente.

Fotografia do local de filmagem postada on-line mostrando os pontos faciais

"Sempre pedimos pontos apenas para ajudar no rastreamento, especialmente quando usamos um dublê", diz Claus. "Com esses dois personagens, já que não usamos dublês, não são necessários tantos pontos". A equipe no set colocou os pontos no que Claus chamou de "áreas mais vagas" do rosto, onde não há traços claros para fazer tracking, como as maçãs do rosto e o centro da testa. "E também em áreas onde a pele se estica e aperta com base em expressões. Precisamos saber o que esse ponto de ancoragem estava fazendo nessa expressão. Se você tiver apenas os pontos de rastreamento naturais na orelha e no canto da boca, e tentar e animar baseado apenas naqueles, não será tão preciso como se você também tivesse esse ponto de ancoragem no centro da bochecha”, acrescenta ele. Mas muitos pontos podem dificultar a vida do compositor. a média foi em torno de uma dúzia de pontos ou pontos de ancoragem adicionais.

Phil Coulson de Clark Gregg des-envelhecido

Como Gregg teria menos cenas, a equipe não fez um teste de des-envelhecimento, e Claus também acredita que ambos os atores estão notavelmente bons e ambos "ele e Sam envelheceram muito bem. É um cenário diferente se você estiver tentando des-envelhecer outra pessoa que viveu uma vida muito mais difícil - teve mais exposição ao sol, algo assim. Mas, tanto Sam quanto Clark envelheceram muito bem ".


A entrega de Lola do filme foi 2K. Um filme como este é normalmente filmado com uma resolução maior, o que pode ajudar, e muitas vezes é fundamental quando reenquadrar na pós-produção ou adicionar um impulso. Mas a abordagem de Lola é não restringir os cineastas, nem exigir restrições do MoCap ou complexas. Eles construíram sua reputação ao permitir que os cineastas filmassem como eles acham que a história deveria ser contada e Lola resolverá as coisas. Por exemplo, um obturador mais curto com menos desfoque de movimento inicial tornaria a vida de Lola muito mais fácil, e borrões de movimento poderiam ser adicionados no post, mas Lola nunca requer tais limitações técnicas e eles simplesmente trabalham com o material como uma cena. Mesmo quando o personagem herói está lutando contra um alienígena em um corredor subterrâneo mal iluminado.


Os diretores do Capitão Marvel, Anna Boden e Ryan Fleck, no vídeo abaixo, explicam (em Inglês) o des-envelhecimento de 25 anos do Samuel L. Jackson e Clark Gregg, enquanto eles explicam tambem uma sequência de luta do filme.


Texto traduzido de https://www.fxguide.com/featured/captain-marvel-de-aging-by-lolavfx/

*

blocking: Posições principais da animação, sem posições intermediários.

Links

A Negociação (portugues)

Steve Magrelho (ingles)

Kurt dos Guardiões (ingles)

A mulher de um bicho (ingles)


  • Facebook
Se inscreva para receber os posts.

©2020 Dama Invisível por anavfx.com